Mondex

A sociedade da Fábrica de Malhas Mondego, L.da – Mondex foi constituída em Março de 1947 por dois irmãos: José Miguel Rodrigues e Fernando Miguel Rodrigues, Junior. Começou com um tear de malha e doze máquinas de costura, num armazém da Rua Justino Teixeira, Campanhã, Porto. Porque a empresa foi crescendo e surgiu a necessidade de novas instalações, foi comprado, ao Sr. Serafim Pinheiro, um terreno agrícola com a casa de habitação, em Chão Verde, Rio Tinto, para a construção de um edifício próprio e mais adequado.

Em 1955, foi construída a 1º fase iniciando-se a laboração em 1956. A partir de então, foi o alargamento progressivo das instalações e o consequente aumento da produção. Em 1958, a Sr.ª D. Maria Júlia dos Santos Rodrigues (esposa do Sr. Fernando Miguel Rodrigues) adquiriu a quota do Sr. José Miguel Rodrigues. Este viria, posteriormente, a fundar a Fertex, onde mais tarde funcionou a Ematêxtil (também já encerrada). Associadas à Mondex, formando um grupo empresarial familiar, nasceram: a Ritex – Confecções de Rio Tinto, L.da (1963); a Calcex – Fábrica de Confecções, L.da (1971) e a Outex – Fábrica de Fiação do Mondego, L.da (1971). Enquanto a Ritex e a Calcex funcionavam nas instalações de Rio Tinto, a Outex tinha instalações próprias, construídas para o efeito no lugar do Outeiro, freguesia da Malta, Vila do Conde. Só em Rio Tinto, o grupo Mondex chegou a ter 180 teares, 1000 máquinas de costura e cerca de 3000 operários. 95% da produção tinha como destino a exportação sobretudo para o mercado europeu. Em 1978 o Grupo Mondex foi vendido ao grupo Melo.

A situação da empresa foi-se degradando com despedimentos e salários em atraso, tendo parado definitivamente a laboração em Abril de 1987.

Resta o edifício à espera que lhe seja dado o destino que merece. São muitos os que o olham e pensam que tem estruturas e espaço que facilmente se adaptariam a um centro hospitalar.

As grandes unidades industriais, que existiram em Rio Tinto, fixaram-se perto ou junto das principais vias de comunicação que passavam/passam pela freguesia. A fábrica de Cabanas e a Mondex eram servidas pela actual estrada nacional nº15, que liga o Porto a Penafiel, Amarante, Vila Real. A fábrica Aliança (do relógio) ficava na estrada de ligação do Porto com Santo Tirso e Guimarães. A fundição de sinos e a Moagem de Rio Tinto, que mais tarde deu origem à dos amidos, localizando-se nas imediações da estação, podiam recorrer ao comboio para receber as matérias-primas e escoar a sua produção.

Atualmente, as várias unidades industriais da freguesia encontram-se um pouco dispersas e são, na generalidade, de pequena dimensão. Com a melhoria dos arruamentos locais e a generalidade do transporte rodoviário, já não é fundamental a localização junto ao caminho-de-ferro ou estrada principal. Tanto quanto sabemos, Rio Tinto (freguesia) não tem devidamente definida uma zona industrial.

Anúncios

One thought on “Mondex

  1. Hi there! This post couldn’t be written any better! Reading through this article reminds me of my previous roommate! He continually kept preaching about this. I am going to forward this article to him. Pretty sure he’ll have a very good read. Thank you for sharing!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s